A respiração pela boca ou respiração de suplência, acontece quando as funções nasais estão comprometidas por problemas obstrutivos. Entre as causas mais comuns de impedimentos da respiração pelo nariz estão os desvios de septo, os pólipos nasais, as hipertrofias de conchas nasais (ocasionadas pela rinite alérgica ou por alterações anatômicas), aumento da adenóide e a rinite alérgica.

Respirar pela boca não é natural e tem impacto marcante sobre a saúde geral do indivíduo.

Nas crianças em fase de desenvolvimento, a respiração oral tem repercussões mais negativas, pois altera o crescimento facial e desencadeia uma série de reações sobre o sistema mastigatório, alterando o curso da sua evolução normal.

Quando o ar entra pelo nariz expande os seios paranasais e estimula o crescimento facial como um todo, ele funciona como a locomotiva que arrasta positivamente todas as diretrizes do crescimento. Os lábios se fecham, a língua se posiciona corretamente na cavidade bucal e o tônus (força) muscular se adequa às funções. No respirador bucal isso não acontece.

Uma criança que respira pela boca, muda a postura da língua, que tende a abaixar e se colocar no soalho da cavidade oral. Não há força para o armamento labial (postura do lábio). Com isso, a pressão da musculatura em volta da boca tende a apertar as arcadas dentárias, diminuindo seu perímetro, repercutindo em falta de espaço para a boa relação dentária.

A saúde geral sofre com a respiração bucal, e pode-se notar no paciente uma série de sinais e sintomas:

  1. boca aberta
  2. manchas brancas nos dentes
  3. gengivite (inflamação das gengivas)
  4. hipotonia labial (fraqueza na musculatura labial)
  5. flacidez facial
  6. desvio postural (alterações na coluna vertebral e no tórax)
  7. aerofagia (deglutição de ar)
  8. ronco e engasgos
  9. déficits cognitivos (dificuldade de atenção e aprendizagem)
  10. sonolência e lentidão

O tratamento é multidisciplinar e envolve o Otorrinolaringologista, o Cirurgião-Dentista, o Fonoaudiólogo e o profissional de Fisioterapia.

Com a desobstrução nasal como ponto de partida e o tratamento da maloclusão, além do apoio das outras áreas, o quadro se reverte, a saúde geral se instala e a qualidade de vida do paciente melhora como um todo.

2022-01-30T14:44:03-03:00
Go to Top