As  maloclusões dentárias são caracterizadas por um posicionamento anormal, incorreto e desarmônico dos dentes em suas bases ósseas e por problemas no relacionamento entre essas mesmas bases que sustentam os elementos dentários.

Numa mordida normal, há uma harmonia entre as forças dinâmicas e estáticas de todo o sistema neuromuscular, da articulação temporomandibular e dos dentes, e o sorriso sempre será esteticamente atrativo.

Vai além de apenas estética!

Além do impacto estético, motivo principal pela busca ao tratamento no consultório odontológico, os dentes tortos e mal posicionados, os queixos curtos ou grandes demais, faces com assimetrias muito evidentes, mordidas abertas e cruzadas, apinhamentos, entre outras alterações oclusais.

São responsáveis também por sérios problemas funcionais, que causarão anormalidades na mastigação, na deglutição, na fonação, na postura da cabeça, além de comprometimentos nas estruturas de suporte, como gengiva e osso periodontal, podendo levar a mobilidades e perdas dentárias.

Até há pouco tempo, esperava-se a erupção de pelo menos os quatro primeiros molares permanentes e incisivos centrais superiores, para dar início a uma terapia de correção ortopédica-ortodôntica, no entanto, com a evolução das técnicas e das terapias, juntada à exigência dos próprios familiares, que cedo verificam “alguma coisa errada” na boca da criança, o tratamento deve ser iniciado no momento do diagnóstico da maloclusão, independente da idade.

Muitas mordidas cruzadas diagnosticadas em crianças de 3 a 4 anos, quando não tratadas, levam a assimetrias faciais de difícil tratamento e em alguns casos, irreversíveis.

Na atual conjuntura, devido a falta de função, principalmente atrelada a ausência do aleitamento materno e a introdução precoce de alimentos pastosos na dieta das crianças de tenra idade, aliados à respiração bucal, não há estímulo neuromuscular suficiente para o crescimento facial, e maxila e mandíbula apresentam-se cada vez menores e atresiadas, com falta de espaço para o correto posicionamento dos dentes em seus lugares determinados.

Surgem daí os apinhamentos, as retenções dos dentes dentro de suas bases, as giroversões, as relações maxilo-mandibulares inadequadas e outra tantas alterações facilmente corrigíveis, desde que o diagnóstico seja feito correto e precocemente.

Principais tipos de maloclusões:

1 – Retrognatismo mandibular: mandíbula curta e/ou retroposicionada, denominada Classe II;
2 – Prognatismo mandibular: mandíbula grande ou projetada para frente, denominada Classe III;
3 – Sobremordidas: arcada superior cobre a arcada inferior de maneira exagerada;
4 – Mordida Aberta: abertura anterior entre as arcadas, por interposição lingual ou direcionamento anormal do crescimento da maxila;
5- Mordida Cruzada: mordida invertida onde os dentes inferiores cobrem os superiores;
6 – Apinhamentos: os dentes encontram-se “encavalados” por falta de espaço;
7 – Retenção prolongada: por perda precoce dos dentes decíduos, há um fechamento do espaço, sem que haja condição do dente permanente nascer;
8 – Diastemas: espaço entre os dentes por discrepância entre as arcadas dentárias e tamanho do elemento dentário ou por pressões anormais da língua;
9 – Atresia maxilar: o palato é estreito e curto;
10 – Agenesias: não há formação do dente permanente.

Indicação e Momento de Tratamento:

A Ortopedia Funcional dos Maxilares, por apresentar aparelhos flexíveis e removíveis, apoiados não apenas nos dentes, mas também nas estruturas de suporte e nas partes moles como língua e bochechas.

Podem ser utilizados em fases de tenra idade, sem a presença de dentes permanentes, com excelentes repercussões sobre as maloclusões, aproveitando a fase de maior plasticidade óssea do desenvolvimento corporal. Além de contar com o maior pico de crescimento da mandíbula que acontece aos 6 anos de idade.

Tolerância ao Tratamento:

As crianças a partir dos 3 anos de idade tem uma excelente aceitação aos aparelhos ortopédicos funcionais, e para cada uma delas, dependendo do seu desenvolvimento neurológico e maturidade emocional, iremos prescrever horários de uso. Sempre adicionando um tom lúdico, mas com doses de responsabilidade, as quais ela já tenha capacidade de compreender.

2022-01-30T15:17:03-03:00
Go to Top