As úlceras aftosas recorrentes são lesões comuns na cavidade bucal, acometendo a mucosa das bochechas, da língua e da gengiva e mais raramente os pilares amigdalianos e véu palatino.

De causa não definida, essas feridas dolorosas são caracterizadas pela destruição celular das mucosas, podendo acontecer como resposta imunológica mediada pelas células T. (linfócitos)

Geralmente iniciam com dor local, pequeno edema, prurido ou ardência até que a ferida se abra. Segue a destruição dos tecidos e a colonização por bactérias da flora bucal. São cobertas por uma membrana purulenta e apresentam halo eritematoso, chegando nos casos mais graves a atingir 1 centímetro de diâmetro.

Por durar de 7 a 14 dias e ser extremamente dolorosas, dificultam a mastigação e a fala sendo comum a presença de gânglios submandibulares.

Causas comuns: trauma por bordas de próteses e aparelhos, acidez por refluxo gastroesofágico, medicamentos, predisposição genética, agentes infecciosos, alterações hormonais e stress.

Tratamento

O tratamento consiste na manutenção de rigorosa higiene bucal mesmo com a presença de dor e anti inflamatórios tópicos para minimizar sintomas. Ao persistirem por mais de 14 dias, com mudança de aspecto, e aumento do volume dos gânglios, um dentista deve ser procurado para diagnóstico diferencial com outros tipos de lesão.

2022-01-30T14:47:01-03:00
Go to Top